São João e as festas juninas

Fogueiras, balões, bandeirinhas, músicas, quadrilhas e comida boa, esse é o mês de junho, mês das festas juninas. O termo “festa junina” remonta as tradições de países cristãos europeus em homenagem a São João Batista no dia 24 de junho. Nesses festejos são lembrados também outros três santos: Santo Antônio (no dia 13), São Pedro e São Paulo (no dia 29).

São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, sendo que foi o Anjo Gabriel quem revelou seu nome a seu pai, Zacarias, que por muitos anos rezou com sua esposa, Isabel que era considerada estéril, para terem um filho. João Batista foi o último profeta a anunciar o Messias, preparando o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”). A comemoração de sua Natividade é, com a do nascimento de Jesus e de Maria, a única festa litúrgica que a Igreja consagra ao nascimento de um santo.

Os rituais advindos principalmente por portugueses, mas também por espanhóis, holandeses e franceses, foram a origem de diversas celebrações nas diferentes regiões de nosso país. Um dos mais comuns e conhecidos símbolos das festas juninas é a fogueira de São João. Segundo a tradição católica, o costume da fogueira foi introduzido pelos primeiros cristãos, que acendiam fogueiras nos festejos para lembrar que foi São João quem anunciou a chegada de Cristo, o símbolo da luz divina.

A religiosidade nas festas juninas continua forte e fazendo-se presente, mas não podemos deixar de reforçar sua principal motivação, que é falar da vida dos santos, como um trabalho evangelizador, para que essa origem não se perca em meio as novidades e ao tempo. A festa junina nos faz muito bem, pois é um momento de partilha, um momento de comunidade, devendo ser preservado esse ambiente acolhedor e familiar.

Que neste mês possamos relembrar a Palavra de Deus, a lembrança e exemplo da vida de cada santo, para que festejamos como cristão: brincando, dançando, se alegrando, agradecendo, partilhando e rendendo graças a Deus e a cultura que dá a verdadeira alegria ao coração do homem.